É o nosso 19º Aniversário!

Análises de Mercado

13 de julho 2016

Metais: ouro e prata

Fiona Chen

Após seis meses de crescimento, preço do ouro cai

Após seis meses de constante crescimento, as cotações de ouro dera início à uma fase de correção. A tendência de alta do metal teve início há dois anos, quando a procura por ativos de segurança aumentou diante de incertezas nos mercados acionários. A demanda se intensificou no fim de 2016 e início de 2016, quando o preço subiu mais de 21%, atingindo 1.377,50 USD por onça troy.

Relatórios da Mídia

Fiona Chen

Risco-Brasil cai abaixo de 300 pontos pela primeira vez em 11 meses (Principais Notícias de 13.07.2016)

SÃO PAULO – Nesta terça-feira (12), o risco-país do Brasil recuou ao menor patamar em 11 meses. Durante a tarde, o CDS de cinco anos chegou a ser negociado a 296,683 pontos. Trata-se da primeira vez, desde 4 de agosto do ano passado, que o papel é cotado abaixo dos 300 pontos, segundo a Bloomberg.

Sessões de Mercado

Vadim Josub

Otimismo na Ásia faz preço do ouro cair

O otimismo dos traders vem causando o abandono de posições abertas com ativos de refúgio. Os investidores se abrigam sob o ouro quando há picos de instabilidade e logo o abandonam quando emerge nos mercados tendências ou comportamentos mais consistentes. Nesta quarta-feira (13.07), o metal vem sendo negociado a 1.338,90 USD por onça troy. Os preços poderão cair para 1.318 USD, nível o qual será o benchmark para novas compras. Enquanto durar o rally nos mercados acionários globais, gerando captação de novos ativos voláteis, a demanda de ouro continuará limitada. Atualmente, 72% de todas as posições de contratos futuros com ouro foram abertas em “Buy”. Para efeitos de comparação, na a semana anterior o valor era de 100%. Por outro lado, os investidores ainda não abandonaram a prata, mantendo 96% de suas posições de compra. Os especuladores aguardam que os mercados acionários norte-americanos terão novos picos de crescimento, particularmente os índices Dow Jones e S&P 500. Prova disso é a atividade cambial dos compradores, os quais focam no curto prazo do que na perspectiva de médio ou longo prazo. Uma vez que não enxergam riscos iminentes, os “bulls” de ativos de riscos estarão na liderança pelo menos até o fim desta semana.
12 de julho 2016

Commodities

Anna Kokoreva

China obtém petróleo a preços vantajosos da Rússia

A China continua a ser o “drive” mais importante para os traders de petróleo. Agora, o país asiático conta com o fornecimento russo de petróleo a preços vantajosos, uma vez que no primeiro semestre de 2016, a Rússia forneceu mais de 8 milhões de toneladas de petróleo através do oleoduto "Rússia-China". Anteriormente o hidrocarboneto era transportado principalmente por via férrea, mas este método era caracterizada de alto risco e custo. O comissionamento em 2011 do gasoduto "Rússia-China", que possui cerca de cerca de mil quilômetros de extensão abriu uma nova página no abastecimento de petróleo entre os dois países. Tendo por base de bombeamento a cidade de Skovorodino na Rússia, os tubos atravessam a fronteira sino-russa no território da província de Heilongjiang e finalizam na cidade de Daqing, província de Heilongjiang. A capacidade transportadora do oleoduto é de 15 milhões de toneladas de petróleo por ano, podendo atingir um máximo de 30 milhões.

Relatórios da Mídia

Natalya Indeeva

Mercados da China sobem com compras nos setores financeiro e industrial (Principais Notícias de 12.07.2016)

XANGAI/TÓQUIO (Reuters) - As bolsas chinesas registraram sólidos ganhos nesta terça-feira com os investidores comprando ações dos setores financeiros e industrial, enquanto o principal índice asiático avançava mais de 1 por cento.

Escolher Período:

Nossos Analistas

Alexander Razuvaev
Alexander Razuvaev

Diretor do Departamento Analítico da Alpari

## ojimadu name
## ojimadu name

## ojimadu position

Vadim Yossub
Vadim Yossub

Analista Financeiro Sênior da Alpari

Ver mais Analistas
Voltar ao topo