EURUSD: touros se preparam para testar o nível 1,1350

Ontem, 14/11, o par euro/dólar fechou com leve alta. As oscilações do par GDPUSD influenciaram o par ao longo dia. As oscilações abruptas na cotação libra foram provocadas pelas declarações contraditórias das autoridades sobre o tema do Brexit. No encerramento do dia, o euro e a libra se valorizaram contra o dólar. O euro fechou a 1,1323.

Após a reunião de governo, a primeira-ministra do Reino Unido declarou que recebeu apoio de todos os seus ministros no tocante à versão preliminar do acordo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. Ela considera que esse é o melhor acordo possível.

Principais notícias (GMT+3)

  • 12:30 – Reino Unido: Vendas no Varejo (Mensal) (Out).
  • 13:00 – Eurozona: Balança Comercial (Set).
  • 15:15 – Eurozona: Discurso de Coeuré, do BCE.
  • 16:10 – Eurozona: Discurso de Praet, do BCE.   
  • 16:30 – EUA: Vendas no Varejo (Out),  Pedidos Iniciais por Seguro-Desemprego, Índice Empire State de Atividade Industrial (Nov), Índice de Atividade Industrial Fed Filadélfia (Nov).
  • 19:00 – EUA: Estoques de Petróleo em Cushing.
  • 19:30 – EUA: Discurso de Powell, Presidente do Fed.
  • 21:00 – EUA: Discurso de Bostic, membro do FOMC.
  • 23:00 – EUA: Discurso de Kashkari, membro do FOMC.

Fig.1 EURUSD, timeframe horário. Fonte: tradingview

Análise técnica

Minha expectativa de retorno do preço à linha da média móvel se confirmou. A partir do grau 45, a alta no par foi retomada. No topo, a resistência se formou na região do grau 67, de onde o euro caiu duas vezes. No entanto, considerando que, na Ásia, o par é cotado em baixa, enquanto os cruzados do euro são cotados em alta, é bom se preparar para uma esticada do preço até 1,1382. Se os compradores conseguirem apertar o passo, eles poderão testar a zona 1,1400. De qualquer modo, eu limitaria o impulso de alta até a linha superior ascendente do canal.

Hoje estão programados muitos discursos de autoridades, dentre os quais destaca-se o do presidente da Reserva Federal (Fed, banco central dos EUA), J. Powell. Ontem nos EUA, saíram os dados sobre a inflação do país para outubro. Eles coincidiram com as expectativas do mercado, mas, como dizem alguns especialistas, os resultados não dão ao presidente do banco central americano motivos para um incremento no ritmo do aumento da taxa básica de juros. Quanto mais o euro se valorizar contra o dólar, menor é a probabilidade de uma desvalorização até 1,1215.

Últimas análises

Todos tem a chance de lucrar

Você não precisa negociar sozinho para lucrar. Obtenha lucros investindo nas contas de traders experientes!

Cadastrar-se