Mais Análises

Mercado de câmbio experimenta incertezas

Resultados das sessões de mercado ao longo da semana

Ao longo da última semana passada os traders experimentaram nas principais sessões dos mercados cambiais e de commodities incertezas e alta volatilidade associadas a dados inconsistentesnos EUA e China, bem como à formação de um sentimento "bearish" no mercado de petróleo.

O barril de Brent caiu 7%, para 46,53 USD por barril, derrubando o equilíbrio de crescimento alcançado há duas semanas. Já o WTI perdeu 7,6% de seu valor, caindo para 45,12 USD por barril. Note-se que a diferença de preço entre Brent e WTI vem caindo, denotando o pessimismo do mercado. As reservas comerciais de petróleo nos EUA na semana passada caíram em 2,22 milhões de barris, enquanto o mercado esperava redução dos estoques por 2,25 milhões de barris. O número de plataformas de petróleo ativas nos Estados Unidos subiu em 10 unidades, para 351. Uma vez que chegam ao mercado notícias de que a produção de óleo de xisto vem se recuperado, é possível que haja pressão adicional sobre os preços do petróleo nos EUA.

Na sexta-feira da semana passada (11.05), o par euro / dólar fechou em baixa, todavia ao longo da sessão norte-americana foi capaz de atualizar seu ponto máximo, batendo 1,1120, após a publicação de forte em dados do mercado de trabalho dos EUA. De fato, os traders foram surpreendidos positivamente pelo lançamento de fortes dados sobre o mercado de trabalho nos EUA (NFP). O número de novos postos de trabalho em setores não agrícolas (NFP) em junho aumentou em 287 mil. A previsão era de 170 mil. O índice para maio foi revisto para baixo, de 38 para 11 mil. Em abril, o valor foi revisto para cima, de 123 para 144 mil. Em junho, o índice foi reduzido de 215 para 208 mil. O desemprego aumentou 0,2%, para 4,9%. A previsão era de 4,8%, e o valor anterior 4,7. Os dados de junho foram muito melhor do que em maio. O euro / dólar seguiu a dinâmica e, após queda para 1,1002, subiu para 1,1120. Os "eurobulls", por sua vez, não foram capazes de consolidar suas posições acima de 1,1047.

Na China, dados divulgados sobre a inflação de preços ao consumidor em junho saíram de modo inconsistente. Em termos anuais, o índice de preços ao consumidor subiu 1,9% em junho, que foi melhor do que a previsão do mercado, no entanto, inferior ao crescimento anual (2%). O índice de preços ao consumidor caiu 0,1% em junho em relação a maio, enquanto o mercado esperava um declínio de 0,3%. A economia da China está gradualmente emergindo de um estado de deflação, todavia muito lentamente, o que tem gerado um efeito negativo sobre o par yuan / dólar.

Na União Europeia, o volume de vendas no varejo aumentou 0,4% em maio (+ 0,2% nas vendas de março a abril). Estes dados coincidiram com as previsões do mercado. Em termos anuais, as vendas no varejo aumentaram 1,6%, o que também coincidiu com aquilo que os traders esperavam. As estatísticas mostram que a UE vem se esforçando para sair da crise e a demanda do consumidor está crescendo. Enquanto isso, na Alemanha as estatísticas de comércio exterior foram publicadas, mostrando que a balança comercial ascendeu a 22,2 bilhões EUR em maio, que foi pior do que o previsto (23,8 bilhões EUR) e abaixo do nível de abril a 8%. As exportações de produtos alemães caiu 1,8% em maio (em relação a abril a março o crescimento foi de 0,1%), enquanto as importações de mercadorias estrangeiras na Alemanha aumentou em 0,1%. Os dados sobre as exportações e importações também ficaram aquém das expectativas do mercado. Acreditamos que este declínio é temporário e não haverá impacto significativo sobre o euro frente a outras moedas, todavia poderá criar no mercado de câmbio determinadas preocupações sobre as perspectivas do euro, especialmente no contexto de rumores sobre dificuldades financeiras do Deutsche Bank e da crise do sistema bancário italiano, em relação às quais o euro enfraqueceu-se em relação ao dólar.

No Reino Unido, a produção industrial aumentou 1,4% em maio, menor do que a taxa de crescimento de abril, todavia melhor do que as previsões do mercado (0,5%). No entanto, os traders do mercado cambial ignoraram os dados e focam na eleição de um novo primeiro-ministro em setembro, bem como na publicação da política econômica do Reino Unido.

Principais notícias da semana

  • Terça-feira, 12 de julho, dados sobre a inflação na Alemanha em junho, ouvindo o relatório sobre a inflação no Reino Unido;
  • Quarta-feira, 13 de julho, dados sobre o superávit comercial da China em junho. Produção industrial no Japão em maio. Produção industrial na UE em maio. Decisão Banco do Canadá sobre a taxa de juros e publicação do Livro Bege do Fed;
  • Quinta-feira, 14 de julho, decisão da taxa de juros e dados sobre a produção industrial no Reino Unido em maio;
  • Sexta-feira, 15 de julho, dados sobre o PIB da China para o segundo trimestre. Produção industrial e vendas no varejo na China em junho. Dados sobre inflação de preços ao consumidor para junho e balança comercial em maio na UE. Dados sobre inflação de preços ao consumidor e vendas no varejo nos EUA em junho.

 

Expectativas para a semana

Em relação ao par EURUSD, esperamos que nesta semana seja negociado em um corredor entre 1,08 e 1,11.

Fig.1 EURUSD, timeframe horário. Fonte: tradingview

Deixar comentários