Mais Análises

Pares cross causam pressão sobre o euro

Durante as sessões de mercado da Europa, os principais pares vêm apresentando dinâmica mista. O dólar norte-americano enfraqueceu em relação ao iene japonês e ao euro após as notícias sobre o declínio dos índices de ações europeus. Quando a situação dos mercados acionários se estabilizou, foi a vez do euro cair fortemente em relação ao dólar e à libra esterlina. A queda da moeda única foi causada pela baixa observada nos pares cross EURGBP, formada após a divulgação de estatísticas do Reino Unido.

Ao fechamento da sessão asiática nesta quarta-feira, o índice Shanghai Composite Index caiu 1,03%, para 2.976,69. Já o CAC40 francês caiu 3,44%, o equivale a 4.125,27 pontos e o DAX alemão para 3,01% a 9.372.99 pontos. Enquanto o FTSE 100 da Grã-Bretanha caiu 3,03%, para 5.698,47, o barril de Brent se recuperou de uma baixa de 27,75 USD para 28,18 USD.

O resumo das estatísticas britânicas no mercado de trabalho alterou para pior quase duas vezes as expectativas em dezembro. O índice salarial médio no Reino Unido ao longo dos últimos três meses, incluindo novembro, totalizou 2,0% ao ano (a previsão era 2,1% e o valor anterior de 2,4% ao ano). A taxa de desemprego nos três meses foi de 5,1% contra 5,8% do ano anterior.

O euro / dólar caiu do máximo de 1,0960 a 1,0899 e o euro / libra de 0,7755 a 0,7705. Vale mencionar também que a pressão sobre o euro recebe reforços das expectativas sobre a conferência de imprensa de M. Draghi, que está agendada para quinta-feira.

As notícias fundamentais fortaleceram a libra esterlina contra o dólar a 1,4190, mas houve reversão para 1,4155. Os vêm fechando suas posições longas após o discurso de ontem de M. Carney.

Até o fim das negociações de hoje, o foco dos traders se re-direcionam para os mercados acionários dos EUA e para os preços do petróleo. Se índices americanos caírem seguindo os índices europeus mais de 2%, esperamos o fortalecimento do dólar em relação às moedas de commodities e o enfraquecimento do iene e do euro. Se a queda dos índices dos EUA é inferior a 1,5%, o dólar ligeiramente reforçada para todas as moedas.

Deixar comentários