É o nosso 19º Aniversário!

Banco sul-coreano Shinhan Bank apresenta a seus clientes a possibilidade de armazenar poupança em criptomoedas

A Coreia do Sul deu mais um passo na introdução das criptomoedas no sistema financeiro. Desta vez, o banco Shinhan Bank comunicou a intenção de oferecer a seus clientes a possibilidade de armazenar poupança em criptomoedas. Shinhan Bank é o segundo maior banco em volume comercial, na Coreia do Sul, com sede em Seul. O capital sob administração do banco é de US$ 280 bilhões.

Em 24 de novembro, o Shinhan Bank emitiu nota informando que está trabalhando no desenvolvimento e lançamento de uma carteira de criptomoedas para seus clientes. Dessa forma, além das contas bancárias, os clientes do banco terão a possibilidade de possuir uma “conta” de criptomoedas.

Os representantes dos bancos explicaram que o crescente interesse da população da Coreia do Sul pelas criptomoedas no último ano pode levar a uma fuga de capitais dos bancos e, para prepará-los para a nova realidade no mercado financeiro, os bancos precisam oferecer a seus clientes a possibilidade de guardar seus recursos em criptomoedas.

Os depósitos em criptomoedas no Shinhan Bank poderão ser realizados gratuitamente, mas serão cobradas comissões pelas retiradas. Atualmente, a maioria das contas de criptomoedas segue esse padrão.

Em minha opinião, esse é um evento muito importante para o processo de introdução das criptomoedas no sistema financeiro global. Esse é um exemplo de que os bancos precisam tomar a decisão de se preparar para essa nova realidade do mercado financeiro ou serão extintos. A situação do banco sul-coreano Shinhan Bank indica que ele, aos poucos, está passando da posição de intermediário financeiro para a de desenvolvedor de aplicações (no momento atual, a de conta de criptomoedas) no setor de criptomoedas.

Atenção:

Os prognósticos apresentados nas análises constituem a visão pessoal do autor. Os comentários feitos não podem ser considerados recomendações ou guia de trabalho nos mercados financeiros. A Alpari de modo algum fica responsável por algum prejuízo (ou outro dano), direto ou indireto, que possa surgir pelo uso do material publicado.

Voltar ao topo